Evite o estresse e mantenha a calma! - Take Care

by Dra. Silvia Lagrotta
2 semanas ago
10 Views

No dia a dia, manter a calma é essencial! A maneira como lidamos com ocasionais acontecimento pode gerar um agravamento do estresse, fazendo com que o obstáculo se amplie. É fato que, na grande maioria das vezes, o desejo de controlar as situações se instaura. Porém, infelizmente essa não é uma possibilidade.

Alerta de spoiler: não temos controle sobre o ambiente externo.

Situações de adversidade, geralmente, causam frustrações e estresse.

De acordo com levantamento feito pela International Stress Management Association (ISMA) em 2010, o Brasil já alcançava o posto de maior prevalência de alto estresse no ambiente de trabalho, impactando 69% dos profissionais. É importante notar que a pesquisa não levou em consideração outras áreas, como a vida pessoal de cada um dos indivíduos.

Ainda, o estresse também é um importante causador de doenças, tanto físicas, quanto mentais.

O corpo humano é preparado para receber pequenas doses de estresse, já que isso contribui para equilibrar as funções orgânicas e para enfrentar diversos problemas do dia a dia. Porém, em casos crônicos, a sucessão de eventos de estresse pode provocar sérios problemas de saúde, pois causam alterações hormonais, derivando em tensão muscular, aceleração da pressão e batimentos cardíacos. As principais doenças identificadas são:  

Insônia: fique atento! As alterações hormonais provocadas pelo estresse podem atrapalhar a saúde do seu sono, fazendo com que o indivíduo se sinta cansado;

Depressão: com o estresse, aumenta-se a produção de cortisol, ocorrendo a redução da dopamina e serotonina, substâncias associadas à origem da depressão;

Problemas cardíacos: novamente, o estresse faz com que haja uma redução do fluxo sanguíneo, o que provoca elevação nos batimentos cardíacos e na pressão arterial. As alterações no fluxo sanguíneo podem causar irregularidades no funcionamento do aparelho circulatório e, até mesmo, provocar entupimento de veias e artérias. Caso evolua, os indivíduos podem sofrer com infarto e AVC;

Prisão de ventre: o estresse também impacta nas funções intestinais, gerando prisão de ventre, desconforto e dores abdominais, por exemplo. Esses sintomas podem evoluir para complicações mais graves, podendo se tornar

permanentes, como a condição chamada de síndrome do cólon irritável;

Alzheimer: segundo um estudo realizado pela Universidade de Copenhague, em parceria com o Centro Dinamarquês de Pesquisa e o National Research Centre for the Working Environment, o estresse e cansaço podem aumentar em até 40% o risco de doenças neurológicas, como o Alzheimer, especialmente pessoas com mais de 50 anos.  

Os sintomas físicos e mentais do estresse excessivo podem ser:

Tensão e dores musculares;

Cansaço e indisposição;

Alterações no sono;

Perda de apetite ou compulsão alimentar;

Alterações no humor e irritação constante;

Aumento da ansiedade;

Falta de concentração;

Dificuldade de memorização;

Preocupação excessiva ou desinteresse pelas coisas;

Consumo compulsivo de álcool e cigarros;

Uso abusivo de outras drogas.

Se identificou? Fique tranquilo! Há solução para saber lidar com imprevistos sem fazer com que o sentimento de frustração e estresse controle as ações subsequentes. Confira as dicas:

Controle a respiração;

Fique distante da situação, dessa forma, você poderá avaliá-la melhor;

Invista na companhia de pessoas positivas;

Planeje pausas na rotina intensa;

Reserve um tempo para a meditação.

Lembre-se: pequenas atitudes transformam o corpo e a mente!